Depressão pós-parto
04/08/2016
Não espere pelo epitáfio
13/08/2016
Mostrar todos

Você tem fome de quê?

Você tem fome de quê? De comida? De amor? De equilíbrio? É esta a indagação que o livro de Deepak Chopra, vai provocar em seus leitores.

O Autor

O autor, que há tempos divulga os benefícios proporcionados por uma vida equilibrada, agora aborda diretamente um problema que assola pessoas em todo o mundo, o excesso de peso.
Você tem dificuldade de emagrece? Seus amigos dizem, “emagrecer é fácil, é só trancar a boca”, o livro prova que realmente a coisa não é bem assim. Precisa sim de esforço e disciplina, mas estes passos não são suficientes.

Elementos científicos e aiurveda

O livro reúne elementos científicos e conhecimentos do aiurveda, (nome dado ao conhecimento médico desenvolvido na Índia há cerca de 7 mil anos, o que faz dela um dos mais antigos sistemas medicinais da humanidade. Ayurveda significa, em sânscrito, Ciência – veda e da vida – ayur), para trazer à luz conceitos capazes de gerar satisfação e equilíbrio, sentimentos imprescindíveis para conquistar a vitória sobre a balança.

ayurveda-comida

Dessa forma, o autor repudia as dietas radicais e todas as formas de privação e chama a atenção para a necessidade de termos uma consciência profunda das motivações que nos levam a comer.

Nossa Mente

Chopra aborda claramente como o nossa mente escolhe um chocolate ao invés de uma fruta, uma pizza ao invés de uma verdura e uma bebida alcóolica ao invés de um suco natural, não apenas porque gostamos desses sabores, mas porque cada alimento que ingerimos, seja ele saudável ou não, visa atender uma fome que num primeiro momento não é a do estômago, mas da alma. Na constante busca pelo prazer, acabamos usando a comida como substituto para o que realmente deveria nos alimentar.

Origem de nossas insatisfações

Somente descobrindo mais sobre nós mesmos, sobre a origem de nossas insatisfações, será possível ajustar todos os aspectos de nossa vida. Somente assim o equilíbrio mente e corpo será restaurado, alimentar-se se tornará um ato natural e será possível alcançar o bem-estar e viver com leveza.

Meditação

Para tornar essa jornada de autoconhecimento e transformação ainda mais deliciosa, o livro traz um programa de meditação de sete dias e receitas saudáveis servidas no Chopra Center, um centro fundado pelo autor em 1996 para promover o bem-estar físico e emocional.

Prazer

“Usamos a comida como consolo; ela é a recompensa por termos sobrevivido às agruras do cotidiano. Só que essa atitude está longe de ser saudável, tanto para o corpo quanto para a mente. Na busca pelo prazer, usamos a comida como substituto para o que realmente deveria nos alimentar. Quando esse problema for resolvido e nossa estima estiver restaurada, alimentar-se será um ato natural, algo que servirá de sustentáculo para que o equilíbrio entre mente e corpo se instale e possamos alcançar o que realmente desejamos: viver com leveza.”

Abaixo, resumo de um trecho do livro “Você Tem Fome de Quê?

LIVRO 1

A vida de todo mundo é complicada, e as melhores intenções se extraviam porque as pessoas têm dificuldade de mudar.
Os maus hábitos, assim como as lembranças ruins, persistem, teimosos, quando desejamos que sumissem.
Existe, contudo, uma importante motivação a nosso favor, que é o desejo de felicidade.
Eu defino felicidade como um estado de satisfação, e todo mundo quer se sentir satisfeito.
Se ficamos atentos para isso, para essa motivação mais elementar, as escolhas que fazemos se resumem a uma única questão: “Eu tenho fome de quê?”.

Esse desejo verdadeiro nos guiará pelo rumo certo. Desejos falsos nos levam para o rumo errado. Façamos um pequeno teste para comprovar isso.

A próxima vez que nos dirigirmos à geladeira em busca de algo para comer, façamos uma pausa. O que nos levou a procurar comida?

Só existem duas razões:

1. Temos fome e precisamos comer.
2. Estamos tentando preencher um vazio, e a comida se transformou no jeito mais rápido de fazer isso.

Gatilhos

A medicina atual tem bastante conhecimento sobre os “gatilhos” que disparam o impulso de comer. O corpo secreta hormônios e enzimas que ligam o centro da fome em nosso cérebro com o estômago e o aparelho digestório.
Quando bebês, só reagíamos a esse tipo de gatilho. Chorávamos porque tínhamos fome.

Depressão, tristeza, raiva…

Agora, o inverso talvez seja verdade: quando temos vontade de chorar, ficamos com fome.
Ao longo da vida, criamos novos gatilhos que um bebê jamais imaginaria.
A depressão é um gatilho bem conhecido para o excesso alimentar. Assim como o estresse, perdas súbitas, tristeza, raiva reprimida, entre outros. A que somos mais vulneráveis? Talvez tenhamos apenas uma ideia vaga. A maior parte das pessoas não tem consciência de quando um hábito alimentar está sendo estimulado, pois esses gatilhos são em geral inconscientes ­ é por isso que são tão poderosos.
Respondemos automaticamente a eles, sem pensar.
Teste: O que estimula você a comer em excesso? As causas mais comuns para a alimentação compulsiva estão nas listas a seguir. Algumas são mais fáceis de superar que outras.

Leia as listas e verifique o que normalmente faz você comer mesmo quando não tem fome.

Marque todos os itens que se aplicam ao seu caso.

Grupo A

…estou ocupado ou distraído no trabalho.
…estou com pressa, na correria.
…estou cansado.
…não dormi direito.
…estou com outras pessoas que estão comendo.
…estou num restaurante.
…estou diante da tevê ou do computador e preciso fazer alguma coisa com as mãos.
…tem um prato cheio na minha frente e acho que preciso esvaziá-lo.

Grupo B

Costumo comer em excesso se…
…estou deprimido.
…estou sozinho.
…não estou me sentindo atraente.
…estou ansioso ou preocupado.
…tenho pensamentos negativos em relação ao meu corpo.
…estou estressado.
…quero um consolo.

Auto avaliação

Se todos ou a maioria dos itens que você verificou estão no Grupo A, os seus gatilhos são os mais fáceis de superar. É preciso prestar mais atenção aos hábitos alimentares, mas isso deve ser relativamente fácil. Você se flagra comendo quando não tem fome porque o seu principal problema é a distração. Quando se concentrar em uma coisa de cada vez ­ a refeição na sua frente ­ vai conseguir controlar a comilança desatenta.

Se todos ou a maioria dos itens que você verificou estão no Grupo B, você tem fome de algo mais além da comida, e prestar atenção nessas coisas será a melhor forma de perder peso. O importante é não fazer regime. O seu caminho não é a privação, é encontrar satisfação em outras coisas além de comer.

Desejo comprar este livro – amazon.com.br

nossa mente
nossa mente

Últimos posts por nossa mente (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *